[youtube https://www.youtube.com/watch?v=4-Mq0C-JCHg?autoplay=1&w=580&h=385]

Finalmente conseguimos o atuador do nosso piloto automático, mas instalação-lo não foi nada fácil, Tivemos que tomar medidas extremas.

Paralelo a isso conversamos com o Toni, um dos grandes skippers aqui do sul, que leva barcos navegando em toda a costa brasileira, além de ter participado em inúmeras regatas importantes.

Estamos em Pelotas, a capital dos doces. Exploramos um pouco da cidade e descobrimos como é navegar por aqui.

#velejando #pelotas

source

29 COMENTÁRIOS

  1. Sou Ari de Jaguariúna SP. caí de paraquedas no #sal , pesquisando mothorhome e viagens, sou um bicho do asfalto motoqueiro, soldador ,construtor de minhas motos, pequenas é verdade mas ando no que construí, já estou velho para construir um veleiro tenho 53 anos., mas assim que eu puder quero levar minha esposa para um passeio em um veleiro, quem sabe do futuro é só Deus ,mas não faz mal nenhum pesquisar curso de arrais e preço de um pequeno veleiro,rsrsrs, sou um "Tatu" a caminho do mar, vamos ver no que vai dar, parabéns pelo canal, continuo devorando seus videos, forte abraço.

  2. Cara!! E muito gostoso ver vc velejar,ouvir as prosas com seus amigos, as aventuras a bordo de seu veleiro , sou um cara pobre e com muitos sonhos , nao sei se um dia vou ter o meu veleiro , mas enquanto nao tiver, espero poder velejar com vc aqui da minha casa e sonhar , Um grande abraco e muita boa sorte para vc

  3. Nove anos atras, se não me engano no dia 22 de dez, eu estava na casa do meu avô e o Toni apareceu apavorado:
    _Preciso levar um Delta 36 para Angra, meu companheiro não pode ir, tenho que entregar até dia 1º! E volto com um Brasilia 32.
    Pensei: Oba, ano novo em Angra, na mesma hora eu soltei: _EU VOU!
    Ja tinha feito varias navegadas pela lagoa, mas nunca uma navegada longa, e não fazia a menor ideia da previsão do tempo, apenas confiei no Toni.

    Liguei para um amigo meu perguntando se ele poderia cuidar do meu cachorro que na época era filhote, e meu amigo:
    _Minha mãe cuida do teu cachorro, pois eu vou junto.
    Saímos de RG a tardinha, quando entramos no mar já era noite, e as ondas começaram a pegar forte, foi então que o Toni começou a explicar:
    _O mar esta assim pois ontem teve um temporal, e a "janela" é muito curta para conseguir chegar em Sta Catarina, então não da tempo de esperar o mar acalmar.
    Antes de sair nos molhes eu preparei sanduíche de maionese com atum para a tripulação, uma dica, nunca comam sanduíche de maionese com atum antes de pegar o mar.
    Foram dois dias terríveis até Floripa, nas primeiras horas, os três enjoados disputando o banheiro do barco, não dava pra chegar na borda, eram muitas ondas que vinham de todos os lados.
    Tive sorte que enjoei por pouco tempo, mas meu amigo deitou no chão do barco e não conseguiu mais levantar a cabeça, foi até Floripa sem conseguir beber água.
    Durante a noite uma serração forte, não dava pra ver nada, só quando o barco balançava e a pequena luz do mastro iluminava um pouco a espuma das ondas quebrando, uma sensação de estar em uma coqueteleira flutuando no vazio do espaço.
    No 2º dia, meu amigo um pouco recuperado conseguiu colocar a cabeça pra fora da cabine, me olhou com os olhos arregalados: _Ruy, eu me achava um cara corajoso!
    Depois de muito sofrimento chegamos ao paraíso, de Floripa pra cima são só alegrias, um bando enorme de golfinhos acompanhou o barco durante varias horas, + ou – das 15h até as 21h, nunca mais vi uma quantidade tão grande de golfinhos.

    Tinhamos que entregar o barco em uma casa no continente em Angra, um casal estava nos esperando, mas antes de entregar o Delta 36 passamos em uma marina para conferir como estava o Brasilia 32, se teria condições de traze-lo. O Toni foi primeiro olhar o 32 e 1h depois ele entrou no 36 e me mandou ir olhar o 32, mas sem dizer nada se voltaríamos realmente no 32.
    Quando vi o 32 e vi o estado miserável que estava o barco, minhas pernas começaram a tremer e eu disse pro meu amigo:
    _EU NÃO VOLTO NISSO!!!
    Mas ao mesmo tempo pensava que não podia deixar o Toni voltar sozinho.
    Perguntei algumas vezes pro Toni se voltaríamos mesmo no 32 e ele não dizia nada, me deixou umas 3h no pavor, até que ele disse que estava brincando, o barco não tinha condições de navegar. Foi a melhor sensação de alivio que tive até hoje.

    Seguimos com o 36, chegamos na casa, que ficava no continente já era noite, e eu imaginando: _Agora vou curtir uma festa!
    Jantamos, pegamos as malas e… Nada de festa, não tem festa no continente.
    Volta pra casa!

    Mesmo depois deste sufoco nunca mais parei, conheci pouco das cidades que estive, mas qualquer pouco que se conheça é melhor que nada.

  4. Ótima reportagem!

    Sou sobrinho do Toni e quando posso embarco nas travessias, é bom de mais!
    Acho que ja fiz mais de 10 vezes a costa do RS e duas de Salvador para um Sul.
    Se me permitem, gostaria de contar a minha primeira vez numa travessia destas, compartilhar a experiencia de um amador em mar aberto.

  5. Boa noite Adriano! É a segunda vez que entro em contato com vcs. Sou servidor do IFSC de Itajai, gostaria de conversar com vocês a respeito de um projeto de extensão aqui no instituto. Temos diversos cursos na área de pesca e náutica, e esses dias vi um vídeo no canal onde você ficou um bom tempo pra ligar um motor de popa do barco de apoio. Gostaríamos de ajudar a tornar essa tarefa mais fácil proporcionando pra você e pra Aline um curso de manutenção básica de motores, entre outras coisas. Sei que estão "subindo" a costa e uma hora vão passar por aqui, então estamos à disposição, assim como estamos para toda a comunidade como uma instituição federal pública e séria. email: [email protected]ifsc.edu.br
    P.S. Aquele churrasco em Bombinhas está de pé, só avisar quando estiverem por perto

  6. Aline e Adriano, como vocês estão? espero que ótimos…… Maravilha, poder pegar carona na lente de voces… Esta matéria com o Toni e Madrugada foi surpreendente e apaixonante, parabéns! A região tem muitos pontos interessante, A cidade, o Canal, a Mirim e as cidades próximas, aliás…aguardamos alguma matéria de Bagé! Desejo que a cidade acolha voces da melhor forma! Abraço desde o Lago Ontário e sempre a disposição!!!

  7. Cara, das coisas mais estranhas que você ouvirá eu lhe direi: eu adorei os vídeos com a chuva. Eu tenho a maior vontade de dormir num veleiro ouvindo a chuva no convés, deve ser muito relaxante. Minha esposa morre de medo, mas, eu, na minha ignorância náutica quase absoluta penso que deve ser algo muito bom. Esse junco nas margens, a chuva no costado, ninguém para encher o meu saco com o maldito celular, e-mail, po…, seria ótimo. Quem sabe eu fico rico hehehe. Grande abraço!