[youtube https://www.youtube.com/watch?v=OLWvjVPdYSw?autoplay=1&w=580&h=385]
Amarrar o barco em uma poita pela popa geralmente é ruim, mas calma! Existem alguns momentos em que pode ser bom... pelo menos por um tempo.

INSCREVA-SE E SEJA BEM-VINDO A BORDO:
https://www.youtube . . .

Você tem que estar logado para acessar este conteúdo

Crie um perfil ou acesse com o seu Facebook, Twiter ou Gmail

 

Criar perfil

22 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde galera da #SAL.Primeiramente eu gostaria de parabenizar de boca cheia o canal!Eu estou completamente apaixonado por este canal e descobri o mesmo ONTEM!Em menos de 5,6 horas assisti quase todos os seus videos,as historias do Sr Elio contato em mínimos detalhes e com extrema verdade blindada em seus olhos cada aventura que passou no mar ,o triste problema que você teve com o raio que caiu em sua embarcação e logo depois a solidariedade de todos ajudaram a recuperar o sistema elétrico do mesmo.A entrevista do Amyr klink dividida em 3 partes ?Mas que honra você teve não ?Quanta visão politica e tamanha visão para por em pratica a resolução dos problemas públicos e até mesmo mecânicos de forma simples o Sr Amyr tem né ?Ele é o meio maior ídolo hoje.Bom eu sou um homem apaixonado pelo mar , tenho isso marcado em meu corpo cabeça e psicológico.Sabe ?Meu Pai teve propriedade em Paraty ( no mamangua )terreno e embarcação eu quando criancinha muito pequeno minha mãe e meu pai viviam navegando pela região e apesar de não lembrar muito e pouco que lembro foi o suficiente para saber que eu vim dali eu sou dali da essência.Eu sou da familia ALMADA temos uma praia com nosso nome em UBATUBA e uma Ilha também com o nosso nome que não sei nem o porque mas um dia vou descobrir.Meu Pai conheceu brevemente o Amyr a uns 15 20 anos atrás e ao contrario do Amyr meu pai fez na sua administração financeira um fim trágico gastou com consumismo exagerado mulheres bebidas ( coisas de lancheiro ) rs.Hoje a empresa faliu meu pai passa uma grande dificuldade na vida no momento nunca recolheu inss na vida não tem como se aposentar e aos 65 anos ainda luta na vida para se sustentar mas hoje graças a deus minha familia o ajuda.Eu Pedro Almada morei em São Sebastião durante alguns anos da minha vida e fui muito feliz e percebi que minha vida feliz é minha vida com o mar no mar.Hoje moro em uma pequena cidade do interior chamada Matão-SP uma cidade que vive de grandes empresas como CITROSUCO,MARCHESAN,BALDAN,MAXTITANIUM etc.Vim para o interior de São Paulo para continuar meus estudos (direito) pelo custo baixo que tem aqui eu faço tudo a pé pois não tenho carro e como o Sr Elio disse sabe me sinto sozinho aqui,as pessoas são completamente materialistas não me tratam bem pelo fato de andar a pé as vezes com roupas simples e eles todos chiques lotados de relógios bons carros um nariz levemente apontado para o céu mas de natureza interior muito fraca e frágil.Eu sou uma pessoa que fala muito pouco sabe sou um cara bem reservado?Tenho mais facilidade em escrita e quando falo algo é porque realmente estou disposto a falar e muito interessado por isso.Sou muito observador e por ser observador vejo o quanto a sociedade caminha realmente para uma "descultura" as pessoas olham para uma cartela de celular na rua mas hoje não dão mais bom dia para o próximo.E vendo isso meio que causa uma depressão sabe?queria poder ajudar a todos mais a sociedade está cega eletronicamente e não usando a tecnologia ao seu favor ,motivo pelo qual foi criada.Enfim me desculpe pelo desabafo gostaria de parabenizar a você a todos os entrevistados sem exceção alguma por me trazer tamanha alegria aqui e poder pelo menos a uma tela de computador hoje assistir vocês mesmo querendo estar ai sei la quem sabe sendo entrevistado ou mesmo aprendendo pois não sei nada de vela ,mas percebi que meu espirito é de um velejador devido ao seu canal.Vou continuar estudando e batalhando para um dia ter meu veleiro e quem sabe ser entrevistado pelo canal #sal…..Obrigado

  2. Obrigado Elio, são dicas imperdíveis só de quem viajou muito pelo mundo e passou por várias situações. Muito ao contrário daqueles "comandantes de varanda" que se acham uns sabichões mas raramente largam os cabos de seus barcos do trapiche.Comprei seu livro, é uma aula de competência, simplicidade e humildade.