[youtube https://www.youtube.com/watch?v=ofRyfa8STDI?autoplay=1&w=580&h=385]
Viajar e conhecer o mundo em um veleiro é algo que muitos que assistem o canal sonham, mas e fazer isso em tempo integral? Deixar de ter uma cidade para chamar de sua? O que define o . . .

Você tem que estar logado para acessar este conteúdo

Crie um perfil ou acesse com o seu Facebook, Twiter ou Gmail

 

Criar perfil

32 COMENTÁRIOS

  1. Provavelmente a entrevista mais linda produzida pela #SAL. Simplesmente você pára e ouvi… e começa a sentir o seu espaço ficar pequeno diante da simplicidade e da pureza de uma vida que segue seu percurso sobre as águas. E que não se trata apenas de velejar ou conhecer o mundo; não… é a vida em sua forma bruta e com toda a sua beleza humanística desprovida de ideologias e padrões.

  2. Adriano, sobre essa questão que você levantou, do porque os franceses terem muito mais pessoas que velejam, etc., quando comparado com o Brasil, que tem muito poucos velejadores. Acho que isso vale para todos os países da Europa Ocidental, e eles possuem uma enorme população ligada aos assuntos marítimos por várias razões. A primeira delas é que são países com muitos rios navegáveis e que são utilizados como hidrovias há milênios (no caso da Europa não é nenhum exagero falar assim). É um negócio tão louco que um sujeito que mora na Suíça e veleja naqueles lagos suíços, lá em cima dos Alpes, pode ir descendo pelo Reno e entrar no Atlântico. E eles possuem costas marítimas com milhares de enseadas, de portos naturais, e uma tradição naval multissecular, e o fenômeno dos motores à combustão que propiciou o surgimento dos automóveis, essas coisas, é um fenômeno que tem pouco mais de 100 anos, então no passado viajar de barco nesses países era muito mais fácil e mais confortável do que viajar a cavalo, ou de carruagem, ou mais recentemente, de trem. E hoje em dia a quantidade de gente que mora em barcos na Europa Ocidental é uma coisa fenomenal. E é relativamente barato um sujeito que more em um barco no Tâmisa sair para velejar pelo Rio Sena, depois velejar pelo Báltico, e tem aquele "lago" fenomenal que é o Mediterrâneo, que dá para um sujeito passar toda uma vida velejando por lá sem se cansar das paisagens. E as marinhas de guerra desses países sempre formaram marujos em grande quantidade que depois de darem baixa, iriam morar em seus próprios barcos, essas coisas.
    Já o Brasil é um país voltado para o interior, não para o mar por incrível que pareça. E como tem poucos barcos, tudo é mais caro, mas falta também mais incentivo por parte do próprio estado. Somos um país que se move por rodovias. Até as ferrovias nós desprezamos! O que dizer então dos barcos…mas aos poucos a gente chega lá.
    É isso.

  3. vivendo100% com vcs .
    Viajo por terra, mas navego tbm. Minhas postagem é só terrestres, marítimas seria ostentação pois é uma lanchinha. Pequena mas fora dos post nossos.
    Estou pesquisando veleiro .
    Parabéns pro casal .
    Quero chegar um dia no nível de vcs, com vídeos .
    Bj boa Viagem Carlos 50, Lilian 40, Enrico 1,5 e Hambo filho pet 13 anos.

  4. O canal de vcs é incrível! Creio q o MUNDO está perdendo a chance de conhecê-lo por falta da legenda em inglês nas outras reportagens. Este vídeo, sim, o mundo pode assistir, pq foi usada uma linguagem internacional. Espero q coloquem legenda em inglês nos outros vídeos p q o mundo possa acompanhar, tb, o maravilhoso trabalho de vcs. Parabéns!

  5. Meu comentário hoje se refere a viver com U$ 500,00 / mês ou seja R$ 1.620,00 / mês . Realmente é um valor , que muitas famílias brasileiras vivem e até com muito menos .
    Mas vamos olhar em que condições estas famílias vivem .
    Provavelmente em casa própria sem ter que pagar aluguel ou qualquer encargo de moradia , sem muita manutenção predial ou despesas extras .
    Gênero alimentícios não são caros , mas produtos de higiene e limpeza representam ligeira elevação nos gastos .
    As taxas de água/esgoto , gás , eletricidade e telefonia para duas pessoas , já sofrem um gasto a mais .
    Não estou incluindo IPTU , escola , vestuário , laser e se tiver carro as despesas normais com automóvel , combustível , seguro e IPVA .
    Por outro lado um casal em um veleiro , tem as despesas de seguro anual , licença do barco em seu país , e todas as despesas de uma casa com gêneros alimentícios e higiene/limpeza
    Na alimentação podem pescar e reduzir um pouco os gastos com carne , como também os gastos com laser , vestuário , eletricidade . Também podem reduzir outros gastos pessoais . . Os hábitos alimentares característico de cada pessoa ou casal , são hábitos difíceis de serem modificados , mas quando se tem um propósito , tudo é possível !… Só não vale passar necessidades .
    Concluindo…
    As despesas maiores devem ocorre com o barco e sua manutenção .
    Peças de reposição , limpeza de casco quando necessário e outras….
    Mas isto eles devem fazer normalmente , quem veleja acaba sendo safo em algumas manutenções e tarefas .
    Não estou incluindo pier ( marina ) ou poita .
    Pensando bem !…
    Se o casal se propõem a economizar por necessidade , acho que consegue , mas a força de vontade precisa ser grande .
    Pizza e cerveja com raríssima exceções .
    O bom mesmo é ser convidado para jantar fora .
    Será que o Hashtag / Sal tomou cafezinho com o casal amigo .
    Um grande abraço e até o próximo comentário .

  6. Meu Deus !
    Não vou conseguir mensurar , em palavras como este vídeo foi emocionalmente lindo lindo lindo …
    Sou um porteiro de um prédio em Campinas , e fico enclausurado em ema guarita de um metro quadrado doze horas por dia,já à 25 anos , e para passar o tempo navego no mar de minha imaginação minha guarita e meu veleiro , mas vcs através destes vídeos me deram um toque de realidade nos meus sonhos obrigado !!!!
    Se o Senhor Hélio presisar de um ajudante que me aviza estou pronto !!! Sei cozinha !!!!

  7. Olá, conheci o canal hoje, muito bom, Parabéns! Sempre amei o mar os barcos, sempre me imaginava neles, quando via as velas, as regatas…era um sonho… nesse fim de semana deixou de ser sonho e começou a se aproximar da realidade, pois comecei meu curso de vela e estou FELIZ demais!!! Muito obrigada pelo canal e pelas maravilhosas entrevistas… estou conhecendo melhor esse universo e quem saber fazer parte dele também! Abraços pra vocês

  8. Nós conhecemos a Calipso em Kourou, na Guiana Francesa. Podemos dizer que ela foi nossa "anja da guarda", pois salvou nosso barco, que guarrou quando estávamos em terra. Quando chegamos na marina o Argos estava amarrado ao pier, sem nenhum arranhão, graças à presteza e competência desta verdadeira mulher do mar. Nunca a esquecemos e ficamos felizes de saber que está por essas terras. Pena que não a encontramos. Vídeo incrível!! Parabéns, somos super fãs do Hashtag Sal!!

  9. Adriano, o Elio nos comentou deste episódio fim de semana passada. Não haviamos visto até agora. Que episódio bacana!! Carregado de história, conhecimento, felicidade, energia boa, conversa tranquila! Parabéns!! Estamos curtindo muito todos os episódios do #SAL. Agora não consigo viver mais sem. Tá fazendo um bem danado pra gente. Continuem firme!!